Para atualizações gratis via email: DIGITE SEU EMAIL:

domingo, 4 de dezembro de 2016

Rússia foge do Tribunal Penal Internacional
e reforça pesadas suspeitas

Tropas georgianas deixam Gorid diante de esmagadora superioridade do agressor russo
Tropas georgianas deixam Gorid diante de esmagadora superioridade do agressor russo
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Vladimir Putin assinou decreto pelo qual a Rússia deixa de fazer parte do Tribunal Penal Internacional (TPI), noticiou “El Mundo” de Madri.

O TPI é responsável por julgar acusações graves como genocídio e crimes contra a humanidade. Putin sente sobre seu governo e o país que tiraniza pesarem graves culpas e foge da Justiça internacional desconhecendo seus tribunais.

O diktat de Putin saiu logo após a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Geral da ONU aprovar resolução condenando a “ocupação temporária da Crimeia” pela Rússia e condenando a Rússia por abusos de direitos como a discriminação contra alguns criminosos.



A Rússia anexou a Crimeia, região que pertence à Ucrânia, em março de 2014 após um referendo falseado montado no Kremlin, uma medida que levou Moscou a receber sanções ocidentais.

O Ministério das Relações Exteriores russo tentou justificar o ex-abrupto diplomático alegando que o TPI não é verdadeiramente independente.

“O tribunal nunca cumpriu com as grandes expectativas que gerou e não se converteu em verdadeiramente independente”, afirmou a chancelara russa, que qualificou o TPI de “parcial e ineficiente”.

“Nestas condições não se pode falar de confiança com o TPI”, por isto o presidente Vladimir Putin decidiu “retirar a assinatura deste documento”.

Putin comemora a anexação da Crimea
Putin comemora a anexação da Crimea.
Ele tem razões para temer a Justiça, até a "amiga".
Moscou também está especialmente irritada com a decisão do TPI de investigar crimes de guerra cometidos durante o conflito de 2008 entre Rússia e Geórgia, comentou a “Folha de S.Paulo”.

Putin assinou em 2000 o Tratado de Roma que estabeleceu o tribunal baseado em Haia (Holanda), mas nunca o ratificou.

Infelizmente, os organismos internacionais criados para punir a violação do Direito Internacional, dos direitos humanos, genocídios, etc., foram muito infiltrados pelas esquerdas e se tornaram merecedores de muitas e severas críticas.

Mas dessas esquerdas infiltradas “amigas” em órgãos como o TPI ou a ONU, Putin não tem muito a temer, mas sim os países de direita, conservadores ou anticomunistas que já têm sofrido condenações injustas ou enviesadas.

Putin se mostrando tão incomodado com esses tribunais e comissões acaba confessando que o fardo de ilegalidades que ele sente sobre si é tão grande que nem mesmo seus amigos dos direitos humanos teriam coragem de absolve-lo de tudo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário