domingo, 3 de outubro de 2021

Bulgária restaura esotérico ícone do comunismo

No teto arruinado ainda reinam os símbolos marxistas
No teto arruinado ainda reinam os símbolos marxistas
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Nos Balcãs se conservam as ruínas de um misterioso “santuário” do comunismo feito pouco antes ao desfazimento da União Soviética (URSS).

No salão principal se reuniam os membros do partido comunista dominados por um grande mural de Engels, Marx e Lênin, segundo descreve reportagem de “La Nación”.

O prédio é mais conhecido pelo nome da localidade: Buzludzha, no centro dos montes Bálcãs, coração do país.

É estranho, mas tem forma de disco voador e é conhecido como “o OVNI comunista”.

Dir-se-ia que o comunismo só se interessava pelas forças da matéria em evolução. Mas, um pouco por toda parte se encontram restos de um esforço por entrar em contato com seres poderosos que outros chamariam de infernais.

No 'OVNI comunista' prevalece uma arquitetura místico esotérica
No 'OVNI comunista' prevalece uma arquitetura místico esotérica
A estética esotérica cósmica foi amplamente utilizada não só no mundo marxista, nas décadas de 1970 e 1980, mas este local blindado se destaca de outros edifícios comunistas na Europa Oriental.

Está constituído por um imenso bloco de concreto e foi inaugurado em 1981, após sete anos de construção.

Nele trabalharam quase 6.000 operários, incluídos os 20 melhores artistas búlgaros da época que decoraram os interiores.

Sua localização não foi escolhida ao acaso, mas exatamente no local da vitória final dos rebeldes búlgaros sobre os invasores otomanos em 1868.

O fato não tem relação alguma com o comunismo. Foi uma vitória épica em que apenas 6.000 soldados búlgaros e russos, então czaristas, lutaram contra o Islã.

Enfrentaram mais de 40.000 turcos obtendo um triunfo que permaneceu na história do país e que o comunismo não conseguiu apagar e então tentou explorar em seu favor.

O prédio tem dimensões monstruosas
O prédio tem dimensões monstruosas
A localização exata é na montanha Buzludzha, a uma altitude de 1.441 metros, a 10 km da cidade de Shipka e a 250 km de Sofia (capital da Bulgária).

Os dirigentes comunistas veneravam aquele lugar por outra razão: em 1891 ali se reuniram os fundadores do socialismo organizado na Bulgária.

A construção consumiu o que hoje daria cerca de sete milhões de euros, não pouco para um país miserabilisado pelo socialismo.

O prédio tem 107 metros de altura e sua área total chega a 550 metros quadrados. Mais de 930 metros quadrados e 35 toneladas de murais traçam a história do Partido Comunista da Bulgária.

O símbolo do comunismo, a foice e o martelo, continua dominador junto com o brado da revolta do Manifesto Comunista de 1848: “Proletários de todos os países, unidos”, de autoria de Marx e Engels.

No topo da torre fica uma grande estrela soviética que tem três vezes o tamanho da do Kremlin, e que teria sido feita de rubis hoje pilhados.

O prédio de Buzludzha, símbolo do PC búlgaro está sendo restaurado por saudosistas do comunismo
O prédio de Buzludzha, símbolo do PC búlgaro
está sendo restaurado por saudosistas do comunismo
O símbolo da horrível ditadura ficou propriedade do governo até que em 1989 o Partido Comunista foi dissolvido e o prédio acabou arruinado pela intempérie.

Mas o mundo pós-comunismo não trouxe o indispensável saneamento ideológico, cultural e moral.

Resultado: nas cavernas da degradação ficou se cultuando o apego aos símbolos da época de morte, terror, igualdade e miséria.

No momento atual, essa fermentação oculta ganhou visibilidade e o local virou o símbolo daqueles que querem restaurá-lo.

Pretendem recuperar mais de 2 milhões de pequenos pedaços de pedra, terra-cota ou vidro colorido que sobraram espalhados em volta do esqueleto do “OVNI comunista” arruinado.

Todo um símbolo do retorno do comunismo promovido desde Moscou.


segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Rússia passa forca de aço no pescoço da Europa

“Ontem eram os tanques. Hoje, os dutos”, já definiu a estrategia russa Zbigniew Siemiatkowski, ex-chefe do serviço de segurança polonês
“Ontem eram os tanques. Hoje, os dutos”, já definiu a estratégia russa
Zbigniew Siemiatkowski, ex-chefe do serviço de segurança polonês
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







A empresa russa Gazprom concluiu a construção do gasoduto submarino Nord Stream 2.

Ele consiste em mais de 1.200 kms de tubulações sob o mar Báltico que transferem gás das jazidas na Rússia até a Alemanha, segundo informou a “Folha de S.Paulo”.

O ducto permitirá que o país de Vladimir Putin duplique suas exportações de gás para a Europa e que, ao mesmo tempo, a deixem à mercê de eventuais chantagens energéticas.

Também ameaça prejudicar a rival Ucrânia e atrapalha interesses dos Estados Unidos.

Atualmente, e pelo menos até o final de 2024, a Rússia deve pagar cerca de US$ 1,5 bilhão (R$ 7,8 bi) por ano à Ucrânia pelo trânsito do gás em seu território. Uma extensão no contrato foi condicionada por Putin à demonstração de “boa vontade” de Kiev.

E a própria Ucrânia depende desse gás para sobreviver. Se a Rússia cortar o financiamento, a rede de gasodutos se transformará em outras tantas cordas de aço que estrangularão o país, sem nada em troca.

Após o anúncio da Gazprom, a Presidência ucraniana divulgou um comunicado em que afirma que o país “lutará contra esse projeto político russo até o fim e, inclusive, depois que começar o fornecimento de gás”.

Segundo o site oficial da empresa russa, os primeiros estudos sobre a viabilidade do Nord Stream 2 começaram em 2012. A construção de fato começou em 2018, mas o projeto avaliado em US$ 11 bilhões (R$ 57,4 bi) foi interrompido em 2019, quando faltavam apenas 150 km para a conclusão.

À época, o então presidente dos EUA, Donald Trump, impôs sanções contra as empresas envolvidas na obra, forçando a interrupção da construção.

Os trabalhos foram retomados um ano depois, com a contratação de embarcações próprias da Rússia.

A nova rota do gás russo espelha o primeiro Nord Stream. Juntos, os dois gasodutos pelo mar Báltico podem exportar 110 bilhões de metros cúbicos por ano, ou quase metade das exportações de gás natural da Rússia para países europeus.

Para os EUA, o projeto gigantesco é um obstáculo econômico, e sobre tudo político e militar. O Nord Stream 2 aumentará a dependência da Europa em relação a Moscou.

Quando assumiu a Casa Branca, o presidente Joe Biden desistiu de bloquear o projeto. Na visão democrata, seria mais interessante apostar na aliança com a Alemanha, a maior economia da Europa, de quem os EUA esperam obter respaldo em outras frentes.

Megaexercício de Rússia e Belarússia preocupa à NATO, mas o gasoduto submarino é mais perigoso
Megaexercício de Rússia e Belarússia preocupa à NATO, mas o gasoduto submarino é mais perigoso
A primeira-ministra alemã, Angela Merkel, afirmou que fará tudo para que o contrato entre Rússia e Ucrânia seja prorrogado e reiterou pedidos para que Moscou não use a questão energética como uma arma geopolítica.

Na Ucrânia, o anúncio do fim das obras foi recebido com ceticismo. Segundo analistas ucranianos levará tempo até o gás fluir pelos tubos no mar Báltico, e nenhuma operação comercial é esperada no curto prazo.

A Rússia disse que o abastecimento de gás por meio do novo gasoduto não começará até que receba luz verde dos órgãos reguladores alemães, que não tem previsão.

Segundo o consórcio administrador o objetivo é deixar tudo pronto para iniciar as operações antes do final do ano.

Para Moscou, a conclusão das obras é um trunfo diplomático.

Confira também: Dutos russos fazem hoje o que os tanques soviéticos faziam ontem

Em outubro de 1982, o prof. Plinio Corrêa de Oliveira, escreveu na “Folha de S.Paulo” (24/10/1982) sobre análogo projeto Yamal hoje conectado com a Rota da Seda que a China.

A Rota visa conectar, com evidente interesse estratégico, o coração da Europa com o Alaska e eventualmente a América do Sul tudo sob o comando de Pequim.

Para a corda de aço, escravos

Sirvo-me da documentação exuberante coletada pela analista política norte-americana dra. Juliana G. Pilon, Ph. D., que a benemérita The Heritage Foudation, de Washington, publicou há pouco (16-9-82).

Trata-se de um estudo sobre a construção do gasoduto de Yamal, imensa corda de aço na qual Moscou pretende enforcar tanto a Europa oriental quanto a ocidental.

Pois tornará uma e outra dependentes do gás soviético para enfrentar os rigores do inverno.

O projeto Yamal será um dos maiores empreendimentos da Rússia. Custará cerca de 45 bilhões de dólares, e será financiado em sua maior parte com créditos ocidentais a juros baixos.

Alguns desses créditos têm juros de apenas 7,5% (cfr. depoimento do especialista Roger W. Robinson, do Chase Manhattan Bank, in “Congressional Record”, vol. 128, n.° 65, de 25-5-82).

Alcançando por vezes o frio na Sibéria 50 graus abaixo de zero, compreende-se que o Kremlin não tenha conseguido preencher com trabalhadores livres grande parte dos empregos que a realização do projeto acarreta.

As estatísticas oficiais da Rússia calculam em cerca de dois milhões os empregos não preenchidos na Sibéria.

Considerando que há mais ainda a preencher nos outros ramos da construção pesada em território soviético, torna-se necessário o trabalho escravo nas obras que se realizam na Sibéria.

Daí ter havido um encontro entre Brejnev e o chefe comunista vietnamita Le Duan.

Do que resultou que o Vietnã pagaria suas dívidas para com o bloco soviético não com dinheiro, mas com trabalho escravo (cfr. “Foreign Report” da revista "The Economist" de 17-9-82).



segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Cárcere ou exilio: únicas opções para os opositores russos

Colonia penal N2, onde foi recluído Alexei Navalny
Colônia penal N2, onde foi preso Alexei Navalny
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Cada vez mais políticos e jornalistas russos estão sendo empurrados ao exílio num renascimento dos tempos mais sombrios da repressão soviética, descreveu longa reportagem do “The New York Times”.

O fluxo constante de emigrados políticos que acompanhou as duas décadas no poder do presidente Vladimir Putin agora se tornou uma correnteza.

Cada vez mais figuras da oposição, conselheiros, ativistas de direitos humanos e até jornalistas independentes ficam com apenas uma alternativa simples: fugir ou ir para a prisão.

Alexei Navalny, um dos principais líderes da oposição deixou a Rússia para ser tratado num hospital alemão especializado em venenos assassinos da KGB.

Ele foi se somar aos doze dissidentes e jornalistas que até agora deixaram o país em 2021. De acordo com analistas, esta é a maior onda de emigração política na Rússia pós-soviética. Navalny apenas recuperado voltou à Rússia e foi logo encarcerado.

As expatriações forçadas deste ano lembram a tática usada pela KGB durante as últimas décadas da União Soviética (URSS), quando a polícia secreta apresentava aos dissidentes duas opções: ir para o oeste ou ir para o leste.

Isto é, para o exílio [no Oeste] ou para um campo de prisioneiros na Sibéria [no Leste].

Hoje, como ontem, o Kremlin concluiu que exilar dissidentes de alto nível é menos complicado que prendê-los. Os russos no exterior são mais fáceis de pintar ante o povo como traidores vendidos ao inimigo.

“A estratégia é expulsá-los primeiro”, disse Dimitri Gudkov, um popular político opositor que escapou em junho. “E se eles não conseguem fazer você sair, eles prendem você”.

Opositores Aleksei A. Navalny, Lyubov Sobol e Ivan Zhdanov em passeata, Moscou
Opositores Aleksei A. Navalny, Lyubov Sobol e Ivan Zhdanov em passeata, Moscou
Em agosto [2021], a advogada e aliada política de Navalny Lyubov Sobol, fugiu para a Turquia, logo depois que um tribunal a sentenciou a um ano e meio de restrições de movimento, e lhe proibiu deixar Moscou.

Porém, antes de a sentença entrar em vigor, Sobol recebeu uma mensagem inequívoca de que tinha tempo para fugir do país.

Entrevistada pelo The New York Times, um dia antes de sua partida, Sobol disse que corria o risco de ir para a cadeia e hoje não revela seu paradeiro e teria feito uma plástica no nariz.

Quando o jornalista investigativo Roman Badanin estava de férias na África o meio de notícias para o qual trabalhava, Proekt, foi declarado 'organização indesejável'.

Badanin considerou retornar à Rússia e enfrentar julgamento teria perdido anos na prisão. Ele voou disfarçado e está na Califórnia desde onde ajuda outros jornalistas a deixar a Rússia.

O ex-magnata do petróleo Mikhail Khodorkovsky, passou 10 anos na prisão após um desentendimento com Putin e agora mora em Londres.

Dois meios de comunicação e um grupo de assistência jurídica apoiado por Khodorkovsky foram fechados em agosto [2021] por “indesejáveis”.

Em maio, quando ia embarcar para Varsóvia, Andrei Pivorarov, ex-chefe do movimento Rússia Aberta de Khodorkovsky, foi preso.

Alexei Navalny na 'gaiola' dos reus no tribunal de Babuskinsky, Moscou
Alexei Navalny na 'gaiola' dos réus no tribunal de Babuskinsky, Moscou
“Parecia imperativo continuar trabalhando abertamente até o último minuto, o maior tempo possível”, disse Khodorkovsky em Londres. “Mas agora o risco é muito alto”.

A mídia pró-Kremlin relata com desprezo a saída de cada oponente. A deserção de Sobol foi apresentada como prova de que “os seguidores de Navalny são ratos covardes”.

Ivan Zhdanov, diretor executivo da equipe de Navalny, deixou a Rússia em janeiro [2021] para ajudar a coordenar os protestos após o retorno e prisão do líder da oposição.

Mas Zhdanov não voltou quando as autoridades russas o acusaram de recrutar menores.

Seu pai, funcionário local aposentado de 66 anos, foi preso em março pela polícia no sul da Rússia por suposto abuso de autoridade e ainda está no cárcere no extremo norte do país.

“Meu pai foi feito refém por esses terroristas”, diz Zhdanov.


segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Imoralidade dizima o povo da “nova-Rússia”

Os recursos para combater as doenças foram cortados drasticamente.
Os recursos para combater as doenças
foram cortados drasticamente.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








Vladimir Putin anuncia em continuidade novas iniciativas armamentistas e militares que vão lhe custar dezenas de bilhões de dólares contra inimigos que poderia apagar da face do mundo em qualquer parte do planeta com um poder arrasador.

Mas cortou subsídios fundamentais para combater as doenças na Rússia,como há tempos denunciou Paul Goble, especialista em questões étnicas e religiosas da Eurásia.

Uma das consequências foi o crescimento galopante dos índices das pandemias  no país e nos territórios ocupados por homens armados a serviço do Kremlin.

Nenhuma notícia fala que a epidemia de HIV tenha diminuído.

Mas a fumaça informativa a respeito da expansão do coronavírus ocupou todas as atenções, com fakes, oficiais ou não, e com o fiasco da "primeira e melhor" vacina contra o vírus chegado da China: a Sputnik V.

Para a Organização Mundial da Saúde, que não esconde sua simpatia pelas vacinas russas e chinesas, a aprovbação da Sputnik V está suspensa até não se saber qual data. Cfr. "La Nación".

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

Novas armas de Putin: cargueiro pega fogo, cai e mata 3 bons pilotos

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Há já anos, Vladimir Putin vem ameaçando com armas apavorantes.

Não é para se menosprezar as bravatas considerando a imoralidade com que são aproveitados os largos recursos militares que o Kremlin financia até com grave desprezo dos sofrimentos da miserabilizada população russa.

Também o povo russo provou sua criatividade e a capacidade de produzir engenhos poderosos e eficazes.

Mas, simultaneamente, a produção russa exibe formas de desleixo e de desamor pelo que está fazendo, tal vez associada a uma falta de método e de inconformidade pelo despotismo que, é preciso reconhece-lo, há séculos vem sofrendo.

Os resultados se evidenciam em desastres materiais dos novos inventos, por vezes calamitosos.

Foi o que aconteceu há pouco, mais uma vez, com o novo avião de transporte Ilyushin Il-112V que seria uma competição do bem sucedido KC-390 da Embraer.

domingo, 29 de agosto de 2021

Rússia: país de recursos imensos
ainda geme numa miséria soviética

Mulher teenta vender num outlet  numa a estação de trem perto de Novgorod
Mulher tenta vender num outlet
numa estação de trem perto de Novgorod
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Numa grande reportagem que ficou para a História o “The New York Times” foi ver o interior da Rússia e flagrou um país caindo aos pedaços.

A infra-estrutura já velha no tempo soviético, continua sem manutenção.

As exceções são as grandes cidades de Moscou e São Petersburgo.

Mas é só sair dos respectivos anéis rodoviários para retroceder assustadoramente no tempo.

Do ponto de vista econômico, a Rússia não saiu do sistema comunista.

O dinheiro do governo e dos plutocratas que "herdaram" as empresas públicas vem dos investimentos ocidentais em gás e petróleo.

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

A mão russa no “supressivo” golpe talibã

Líder Talibã Khalil Haqqani numa mesquita de Cabul. Foi-se o tempo em que usavam armas velhas capturadas. A Rússia e a China os armaram com o que há de mais moderno
Líder Talibã Khalil Haqqani numa mesquita de Cabul.
Foi-se o tempo em que usavam armas velhas capturadas.
A Rússia e a China os armaram com o que há de mais moderno
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Já no governo de Donald Trump, os serviços de inteligência americanos constataram que uma unidade especial russa pagava prêmios aos talibãs ou a criminosos associados para matar soldados ocidentais no Afeganistão, segundo o “The New York Times”.

Os EUA deduziram há meses que agia uma unidade russa ligada a serviços sujos análogos no Ocidente.

Seus membros interviram em tentativas de assassinato na Europa para desestabilizar Ocidente ou se vingar de espiões russos que se passaram para o lado ocidental no último ano, pelo menos.

Militantes islamistas e criminosos contratados para o mesmo teriam colhido grandes somas de dinheiro, disseram os especialistas.

domingo, 8 de agosto de 2021

KGB sequestra e assassina dissidente no exterior

Vital Shyshou auxiliava a seus compatriotas fugitivos e em necessidade
Vital Shyshou auxiliava a seus compatriotas
fugitivos e em necessidade
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








O jovem bielorrusso Vital Shyshou que ajudava seus compatriotas fugitivos da ditadura de seu país natal foi encontrado enforcado em um parque de Kiev, capital da Ucrânia, onde costumava correr, noticiou Yahoo!Notícias.

Vital de 26 anos, dirigia a ONG Casa Bielarussa na Ucrânia (BDU, na sigla em inglês), e a polícia de Kiev suspeita um homicídio disfarçado de suicídio.

O crime teria sido ordenado pelo regime do ditador da Bielorrússia Alexander Lukashenko e executado pela KGB, polícia que conserva o velho molde soviético e, na Bielorrússia perpetua até o nome que na Rússia Putin trocou.

Shyshou foi advertido de possíveis agressões, sequestros ou até homicídio. Ele se sentia vigiado desde que deixou seu país natal, em 2020.

“É uma mensagem para todos os bielorrussos que estão no exterior” disse Volha Yermalayeva Franco, representante no Brasil da oposição à ditadura da Bielorrússia .

Há pouco mais de dois meses, outro exilado da Bielorrússia , o blogueiro Roman Protassevich, foi sequestrado e preso pelo regime, quando viajava num voo comercial.

segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Escalada do comunismo no mundo e na Igreja:
o grande alerta não ouvido

Retorno do comunismo Putin na Rússia, Pedro Castillo no Peru
Retorno do comunismo: Putin na Rússia, Pedro Castillo no Peru
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








O Peru apresenta um novo governo composto de marxistas de diversas tonalidades que desafiam a estabilidade da América do Sul.

O novo presidente extremista se apoia nos regimes de esquerda que retornaram na Argentina e na Bolívia, que perduram na Venezuela e na Nicarágua, nas arruaças que incendeiam o Chile e a Colômbia.

Anos antes, o Papa Francisco I aceitando de presente uma grande foice e martelo com um Crucificado das mãos de Evo Morales que cairia em pouco tempo mas acabaria retornando, pareceu realizar um gesto simbólico "profético" dessa ida e volta.

Notícias surpreendentes como as do Peru caem como raio em céu sereno com crescente frequência, e não só em nosso continente. Dir-se-ia que múmias ressuscitam dos mausoléus do comunismo e se instalam nos centros de poder que ditam o rumo da civilização do III Milênio.

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Sputnik V evoca complós da era de Stalin

Mais de um milhão de idosos está sem a 2ª dose da Sputnik V que a Rússia não manda
Mais de um milhão de idosos está sem a 2ª dose da Sputnik V que a Rússia não manda
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







O governo argentino que se prestou à guerra da informação russa deveria estar aplicando a segunda dose da vacina Sputnik V. Mas Moscou não a envia.

Buenos Aires enviou uma carta ao Fundo Russo de Inversão Direta (RDIF, em inglês), expressando seu grave desgosto e reprochando a Moscou pelo acentuado desrespeito dos prazos, denunciou “La Nación”.

Buenos Aires também protagonizou cenas de ríspida tensão quando Xi Jinping atrasou as entregas.

A Casa Rosada está pressionada pela “angustia” da população, especialmente o mais do milhão de idosos que ficaram com os prazos vencidos para a segunda dose.

O governo esquerdista não queria vacinas “estrangeiras”, leia-se americanas, e correu para a oferta russa.

segunda-feira, 19 de julho de 2021

Ditador bielorrusso
interdita hino nacional que invoca Deus

Bielorrussos agitam as cores nacionais cantando o Hino a Dieus que causou as cóleras de Lukashenko e de Putin.jpg
Bielo-russos agitam as cores nacionais cantando o Hino a Deus
que causou as cóleras de Lukashenko e de Putin.jpg
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







O Presidente da Bielo-Rússia, Aleksandr Lukashenko, voltou-se contra as igrejas católicas que cantem o hino religioso-patriótico “Deus Forte” (Magutnyj Boža) no dia da independência nacional, segundo registrou a agência Asia News.

O hino é uma oração a Deus – o grande odiado pelo presidente ateu – implorando o bem-estar para a Bielo-Rússia.

A letra foi composta em 1943 (sob ocupação nazista) pela poetisa católica Natalia Arsenieva e a música pelo compositor Nikolaj Ravenskij em 1947 (sob a bota soviética), se tornando muito popular.

Lukashenko inventou que é um “hino fascista” pois diz, entre outras coisas: “Deus poderoso! Senhor dos universos / Na Bielo-Rússia, quieta e amigável / Vós irradiaste os raios de Vossa glória. etc.”

Nada a ver com nada, mero ódio ateu do ditador putinista.

domingo, 4 de julho de 2021

Sputnik V: arma da guerra da informação
ganhou “certidão de óbito”

Sputnik V: vacina e arma da guerra psicológica russa segunda dose não sairá mais.
Sputnik V: vacina e arma da guerra psicológica russa
segunda dose não sairá mais.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








Foi assinada a “certidão de óbito” da segunda dose da vacina russa Sputnik V após demorada morte anunciada, deplorou o jornal argentino “Clarín”.

Na Argentina, o governo esquerdista que banca ser “mais russo que os russos”, fez depender sua desastrosa campanha de vacinação do produto russo.

E criou barreiras de sabor ideológico contra a competição ocidental, sobretudo contra as vacinas americanas.

Agora o presidente Fernández liberou a vinda das vacinas Pfizer, Janssen e Moderna, em meio a uma onda de indignação nacional pela ausência das segundas doses da Sputnik V.

Essa indignação pode provocar a derrota eleitoral do partido governamental nas próximas eleições.

E isto importa muito mais ao governo do que os milhares de argentinos que estão morrendo ou, as centenas de milhares de pessoas passando angústias pela vacina que não aparece.

domingo, 27 de junho de 2021

Fricções militares com a Rússia fazem temer o pior

Rússia diz que só houve 'tiros de advertência'
Rússia diz que só houve 'tiros de advertência'
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







O HMS Defender uma das naves mais modernas e poderosas da marinha de guerra britânica, foi objeto de voos e bombardeios de advertência por parte de jatos de guerra russos no Mar Negro, informou “O Globo”.

O Ministério de Defesa russo alegou que o contratorpedeiro britânico adentrou águas da Península da Crimeia navegando em uma área anexada pela Rússia em 2014 após um referendo não reconhecido pelas potências ocidentais.

A Rússia também convocou a embaixadora do Reino Unido em Moscou e intimou Londres de que, se embarcações de guerra britânicas voltarem a navegar na costa da Crimeia, no Mar Negro, serão bombardeadas.

Acontece que o Reino Unido, como disse o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, considera “ilegal” a anexação da Crimeia e que as águas em que navegava o barco inglês são ucranianas, e agia de forma “totalmente correta”.

A Marinha britânica disse ter agido “com o direito internacional”, e tratou os disparos de alerta russos como meros “exercícios de tiro”.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia voltou ao habitual uso do insulto quando é acuado.

terça-feira, 22 de junho de 2021

‘Putin defensor dos valores cristãos’?:
mais uma mentira da nova KGB,
vem advertindo arcebispo

Dom Sviatoslav Shevchuk, arcebispo de Kiev sobre Putin:
a KGB jamais difundiu os valores cristãos,
mas se serviu deles com finalidades políticas.
Eu não acredito que quem sacrifica um milhão de vidas
para atingir objetivos geopolíticos
possa estar animado por valores cristãos.
Não sejamos ingênuos”.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Em entrevista de imprensa na sede da Rádio Vaticana, Mons. Sviatoslav Shevchuk, arcebispo-mor do Rito greco-católico, disse ter advertido o Papa a respeito de afirmações da Santa Sé que podem ser associadas à propaganda russa.

Mons. Shevchuk esteve em visita ad limina a Roma, juntamente com mais de vinte bispos católicos ucranianos dos ritos latino e bizantino dm 2015. E desde então os prelados ucranianos vem transmitindo a Papa Francisco a dramática situação que vive seu país ameaçado em suas fronteiras com a Rússia e com parte de seu país ainda invadido por mercenários pagos por Moscou.

“Para descrever o que acontece na Ucrânia, advirtiu ele no início da entrevista, só se pode usar uma palavra: invasão estrangeira e não conflito civil”.

A expressão “guerra fratricida” havia sido usada pelo Pontífice numa audiência com particular infelicidade. Ela suscitou fortes reações nos ambientes católicos ucranianos e verdadeiro entusiasmo entre os seguidores de Vladimir Putin, entre os quais se destacou o Patriarcado cismático de Moscou.

A expressão “guerra fratricida”, explicou o arcebispo de Kiev, feriu a sensibilidade do povo ucraniano, pois ecoa a visualização do conflito ucraniano espalhada pela “propaganda russa”. Até hoje as regiões 'separatistas' funcionam como território ocupado por agentes do Kremlin que as governam armados.

domingo, 13 de junho de 2021

Repressão russa ao catolicismo promovida em Paris

Alexander Dvorkin, funcionário da Igreja Ortodoxa Russa é o encarregado de indiciar as vítimas religiosas
Alexander Dvorkin, funcionário da Igreja Ortodoxa Russa,
é o encarregado de indiciar as vítimas religiosas
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Hoje soaria demencial um relato fictício de hierarcas nazistas como Himmler e Goebbels fazendo palestra em Paris para se apresentar vitimados pela perseguição dos judeus, dos americanos e dos estudiosos contrários ao nazismo.

Porém, se tivesse ocorrido durante a ascensão do nazismo, as “vítimas” teriam sido ovacionadas e os “judeus, americanos, etc.” execrados.

Hoje, o artista contemporâneo que montasse uma peça, show satírico ou obra de arte com esse horrível tema sucumbiria sob uma catarata de condenações.

No entanto, aconteceu em fevereiro de 2021 em Paris, segundo denunciou Massimo Introvigne, representante da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa) para o Combate ao racismo e xenofobia com particular atenção para a discriminação contra os cristãos.

terça-feira, 1 de junho de 2021

Guerra da informação russa promove confusão sobre vacinas anti-Covid

Desinformaão desestabiliza tentativas de combater racionalmente a doença
Desinformação desestabiliza tentativas de combater racionalmente a doença
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Uma misteriosa agência de relações públicas com sede em Londres propunha a influenciadores das redes sociais da França e da Alemanha até milhares de euros com uma condição: apresentar a vacina da Pfizer como causadora da morte, noticiou o “The New York Times”.

A afirmação é falsa e a agência, de nome Fazze, é uma ficção, tem um site e se diz “plataforma de marketing influenciador” que conecta blogueiros e anunciantes.

A operação tinha um fundo criminoso: desanimar a vacinação das pessoas que caíssem no conto, sobretudo quando este era difundido por influenciadores já conhecidos.

Alguns dos influenciadores se perguntaram o que é que era essa agência Fazze que tentava seduzi-los com dinheiro.

A trilha os levou à Rússia. Sem sabe-lho esses influenciadores podiam cair na malha inescrupulosa da Guerra da Informação sempre ativa no império de Vladimir Putin, formado na polícia secreta soviética KGB.

“Incrível. O endereço da agência de Londres que me contatou é falso”, escreveu no Twitter Léo Grasset, quem publica matérias sobre saúde e ciências no YouTube e tem mais de um milhão de seguidores.

“Todos os funcionários [da misteriosa agência] tem perfis estranhos e desapareceram esta manhã. Todos eles antes trabalharam na Rússia”.

segunda-feira, 24 de maio de 2021

Caça bielorrusso intercepta avião de passageiros e sequestra opositor

MiG-29 bielorrusso obrigou pousar um avião comercial para sequestrar passageiro
MiG-29 bielorrusso obrigou pousar um avião comercial para sequestrar passageiro
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Numa ação sem precedentes, um caça MiG-29 bielorrusso interceptou um avião de passageiros da Ryanair perto da fronteira da Lituânia e o obrigou a pousar em Minsk, capital da Bielorrússia, informou a imprensa mundial, como “La Nación”.

O voo comercial ia sem escalas da capital grega Atenas com destino a Vilnius, na Lituânia. Levava entre os passageiros a Roman Protasevich, editor do canal informativo de oposição Belamova, que denuncia ao autocrata Alexander Lukashenko, servidor de Vladimir Putin.

Lituânia e Grécia são membros da União Europeia e da NATO, mas é de se temer que essas poderosas alianças não ajam muito para proteger dois pequenos países membros.

Após o avião pousar contra sua vontade, a KGB – sinistro nome que ainda conserva a polícia bielorrussa perpetuando o regime da URSS – prendeu a Roman que pedia encarecidamente aos pilotos “Não façam isso. Eles vão me matar”, informou o “Jornal de Brasília”.

domingo, 16 de maio de 2021

Coronavirus: terrores de Putin e confiança dos reis cristãos

Putin protegido contra o Covid
Putin protegido contra o Covid
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Putin criou para si uma impenetrável blindagem sanitária para proteger sua saúde na pandemia, embora propagandeie que a vacina russa é a melhor do mundo e falou que se vacinou, mas não se sabe com qual, segundo reportagem de “La Nación”.

Os reis portadores das coroas cristãs não mostravam esse terror.

São Luis IX ia administrar justiça à sombra de um carvalho em Vincennes e recebia a quem quer que se apresentasse com uma queixa, até o mais miserável doente.

Os reis da França, até o último sagrado em Reims, após a coroação tocavam numa multidão de “escrufulosos” que os aguardavam do lado de fora da catedral de Reims dizendo “o rei te toca, Deus te cura” sem medo a se contagiar.

O que eram os “escrufulos”? Não se sabe com certeza.

domingo, 9 de maio de 2021

Católicos abandonam anticomunismo enquanto Rússia se apronta “para o pior”

Rússia desenvolve novos mísseis nucleares que poderiam destruir qualquer cidade ou país no mundo, Foto do Ministério da Defesa russo
Rússia desenvolve novos mísseis nucleares
que poderiam destruir qualquer cidade ou país no mundo.
Foto do Ministério da Defesa russo
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Enquanto despachava uma frota de submarinos para desafiar um exercício militar ocidental, Moscou trombeteava estar “pronto para o pior” numa nova Guerra Fria com os EUA, por meio do porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, citado por Yahoo! Notícias.

O presidente americano, Joe Biden, semanas antes havia elevado a tensão entre Washington e Moscou a um nível inaudito até na velha Guerra Fria com a URSS definindo a Putin como um assassino em entrevista na TV.

O contexto do choque partiu do envenenamento do opositor Alexei Navalny, que suscitou grandes passeatas anti-Putin nas principais russas revidadas com violência pela polícia política.

Navalny voltou à Rússia onde foi preso mais uma vez e onde iniciou uma greve de fome de 24 dias. Quando apareceu estava extraordinariamente emagrecido.

Biden também quer tirar satisfação pelas interferências cibernéticas russas em favor de seu adversário Donald Trump no pleito presidencial americano de 2020.

“É claro que não podemos descartar os comentários de Biden”, disse Peskov enquanto Biden reafirmava sua posição sobre a questão eleitoral.

domingo, 2 de maio de 2021

Russos fogem da Sputnik V, propaganda oficial insiste e Anvisa proíbe

Governo russo esttaria falsificando as estatística para promover a imagem de sua medicina
Governo russo estaria falsificando as estatísticas para promover a imagem de sua medicina
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Para o Kremlin, a vacina Sputnik V tem o valor de uma cartada propagandística que deve ser projetada para levar o prestígio do regime a um ápice.

Ela serve para dizer que a medicina russa está no topo porque sua vacina foi a primeira aprovada contra o coronavírus. Então Vladimir Putin tece uma diplomacia de Guerra Fria opondo Leste contra Oeste, escreveu “Clarín”.

Porém, nem os russos acreditam. 

Na Argentina o governo nacionalista de Alfredo Fernández incondicional amigo dos russos e do socialismo tenta vacinar todo mundo com ela. Mas a Rússia não consegue entregar em tempo nas quantidades prometidas e os números de contágios e óbitos não param de crescer.

A percentagem da população vacinada na Rússia (5,71% dos habitantes) é menor que na Argentina (9,39%).

domingo, 25 de abril de 2021

Movimentos imprevisíveis na nova Guerra Fria russa

Concentração militar russa em Opuk, costa do Mar Negro, Crimeia
Concentração militar russa em Opuk, costa do Mar Negro, Crimeia
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







O Kremlin fez espalhafato com suas movimentações militares junto à fronteira da Ucrânia. Ela pretextava risco de guerra civil nesse país que a obrigaria a intervir, leia-se invadir.

No momento que escrevemos está retirando forças estacionadas na região, mas seus procedimentos são imprevisíveis e nada confiáveis.

O porta-voz de Putin, Dmitri Peskov, deu um falso verniz humanitário ao apoio aos rebeldes separatistas que obedecem instruções da Rússia e controlam partes de Lugansk e Donetsk, duas áreas autônomas no leste da Ucrânia, noticiou a “Folha de S.Paulo”.

“O mundo todo, incluindo a Rússia, tomará medidas para evitar a repetição dos eventos de 1995 em Srebenica na Ucrânia, em caso de que uma ação militar total recomece ali”, alardeou.

A montagem de Peskov explora a massacre de 8.373 muçulmanos por forças sérvias ortodoxas na Bósnia.

domingo, 18 de abril de 2021

Crimeia: opressão russa de todas as minorias

Grafites do comandante supremo na Crimeia ocupada lembram a Havana de Fidel Castro
Grafites do comandante supremo na Crimeia ocupada lembram a Havana de Fidel Castro
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








Pouco se fala do destino dos habitantes da Crimeia, invadidos e submetidos pelos soldados russos. 

A grande mídia ocidental guarda um silencio estranho, embora a população sofra uma opressão mais própria de uma ditadura ou de um regime soviético, segundo se tira de reportagem da Deutsche Welle. .

Nas ruas pode se encontrar o grafite de Vladimir Putin enquanto herói libertador, como o de Fidel Castro ou do Che Guevara nos muros carcomidos das cidades e aldeias cubanas.

As bandeiras russas substituíram as ucranianas antes mesmo do referendo fraudulento para fingir uma anexação legal.

Na primavera de 2014, soldados uniformizados, mas sem insígnias ou identificação ocuparam o prédio do governo, o Parlamento de Simferopol e, posteriormente, o quartel-general do exército ucraniano na Crimeia que faz parte da Ucrânia.

Mas não diga isso porque quem rejeita a anexação é perseguido.